Olha só!, é um blog olho no olho, quero dizer, palavra no ouvido, grito no espaço, segredo e colapso público. É pra conversar um pouco pois é conversando que a gente se entende. Um pouco. Em tempo: todas as fotografias são do mesmo autor dos textos.
segunda, 12 de fevereiro de 2018
ARQUEJANTE


o arco do dia fazendo-se noite ou alvorada

os arcos nas cordas

de um contrabaixo, violoncelo, violino, viola

os arcos dos dias que rodopiam

pelo planeta do meu ser

os arcos de nossos dois corpos

a se amarem céleres ou lentos

para sempre a se conhecer


o ofá, arco de oxóssi

trazendo da caça a comida

pra nos revigorar

o arco em teus cabelos

aclarando seu rosto

que vem se mostrar


os arcos dos aquedutos

de todo o mundo

os arcos da lapa

do rio de janeiro

com seu bonde e seu motorneiro

os arcos das velas

dos saveiros do mar da bahia

e seus timoneiros

os arcos de nossos lábios

quando vão se beijar


os arco-íris com todos os seus matizes

o marco do arco de nossos olhos

firmando o desejo que existe

os arcos das promessas

quais barcos à deriva

os arcos fechados dos anéis

e alianças e jóias metálicas

que nos habitam


mas principalmente

os arcos de nossas curvas de corpos

quando a gente se divide

se une e se presenteia

 

08.02.2018.

sexta, 9 de fevereiro de 2018
AMANTE


que eu enfarte de glória
a pessoa que quer minha morte
que eu invada com rimas pobres
quem me quer mal
me deseja o fatal


eu que não tenho conselhos
nem sonhos ou mantenimentos
para quem obra
o mal da sorte
não sou conservante
e nem mantimento


a cada instante
sou homem flagrante
mereço carinhos
flores, versos, músicas constantes
peço minúcias de delícias,
coisas explícitas
doces de amante
pois todos os meus espaços
tem cabimento


08.02.2018.

sexta, 2 de fevereiro de 2018
SURPRESA E CERTEZA


muitas vezes duvidei do amor.
nunca recusei amar.
a natureza do resplandecer, se recriar, alçar inéditos voos, saber o momento de pousar, é coisa do amar e não do amor. já dei créditos aos sonhos de valsa e buquês de rosas, simpáticos mas fugazes como fezes e fases.
pertinente e permanente é o amar. é o que sempre me surpreende e refaz, esse poder verdadeiro e pessoal, não delegado ou decretado, sem interesses escusos, sem outros usos senão a dedicação à vida que se apraz ao prazer.
amor é substantivo.
amar é intransitivo.

 

21.01.2018.

Páginas
<< Início  < Anterior 2 3 4 5 6 Próxima >  Última >>